30 Dias 2015

Fazer as pazes com muçulmanos?

paz

Seguir ao Príncipe da Paz demanda isso!

– por Rick Love, PhD

Eu ensinei um curso de Pacificação como a Missão de Deus no Seminário de Denver junho passado. John, um dos meus alunos do Quênia, me contou a arrepiante história do grupo terrorista, Al Shabaab. Originalmente da Somália, esse grupo começou a infiltrar as mesquitas do Quênia, buscando derrubar o governo. John parecia transtornado com os planos malignos e descarados do Al Shabaab. Eu relutei a responder, mas então senti a direção de Deus: “Primeiro, você não é responsável por descobrir como parar o Al Shabaab, John. Você é responsável por trabalhar pela paz onde Deus o colocou. Deus lhe deu uma esfera de influência. Comece ali. Encoraje cristãos a estender amor para os muçulmanos.” Em segundo lugar, eu disse, “John, você precisa encontrar muçulmanos nobres pacificadores. Você deve ser parceiro deles para conquistar os corações e mentes de seus companheiros muçulmanos e voltá- los contra Al Shabaab.”

Minha resposta destaca duas chaves que vão nos ajudar a combater extremismo violento e buscar paz com muçulmanos.

1. Paz começa comigo. O que Deus espera de mim em minha área de influência?

Jesus disse que seus filhos vão ser pacificadores (Mateus 5:9), e Paulo disse que pacificar é abrangente em seu alcance: “No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas.”(Rom.12:18; também Heb.12:14). Isso mesmo, todos – inclusive muçulmanos. Thomas Davis tinha morado em Padang, Sumatra na Indonésia há alguns anos atrás. Por causa disso, ele foi convidado para falar na Universidade Muhammadiyah, recentemente. “Ele começou sua apresentação com um pedido de desculpa. “Eu vim dos Estados Unidos para pedir perdão porque nós cristãos americanos não temos amado nossos vizinhos muçulmanos na América como Jesus nos ordenou.” A multidão surpresa sentou aguardando com expectativa para ouvir mais. Então Thomas compartilhou o ensino de Jesus sobre amor e reconciliação, destacando onde seguidores de Jesus na América haviam falhado.

Então ele continuou com algumas boas notícias. “Há um número crescente de cristãos na América, como nós de Paz Catalisadora Internacional, que queremos viver de acordo com os ensinamentos de Jesus.” Ele explicou como ele faz isso dando exemplos práticos de seu próprio trabalho de pacificação com muçulmanos em Raleigh.

Quando Thomas terminou de falar, um professor muçulmano de outra universidade se levantou e fez um desafio apaixonado: “Thomas veio da América para trazer uma mensagem de Deus. Ele e seus colegas estão mostrando para muçulmanos indonésios uma forma melhor de viver. Muçulmanos indonésios devem aprender a tratar cristãos indonésios com bondade e respeito. Precisamos seguir o exemplo de Thomas de servir a minoria, aprendendo deles e construindo amizades com eles.”

Thomas estava apenas tentando ser fiel e contar sua história. Ele trabalha para paz dentro de sua área de influência. O resultado? Sua história plantou sementes de paz e maior liberdade religiosa na Indonésia.

2. Os cristãos precisam se juntar aos muçulmanos para combater o terrorismo e promover liberdade religiosa.

Douglas Johnston e sua organização, o International Center for Faith and Diplomacy (www.icrd.org), se juntou a muçulmanos para promover a liberdade religiosa e combater o terrorismo no Paquistão.

Nos últimos 10 anos eles trabalharam com líderes muçulmanos de madrasas (escolas religiosas) para expandirem seu currículo além do Alcorão. Eles já abordaram mais de 1611 madrasas, expandindo seus curriculos para incluir ciências, juntamente com uma forte ênfase em tolerância religiosa e direitos humanos.

Johnston ressalta: “Bombas normalmente criam mais terroristas ao aumentar o ciclo de vingança. A educação, por outro lado, drena o pântano do extremismo e provê um futuro melhor para as crianças do Paquistão (e indiretamente para nós também).”2

Pense: Cristãos e Muçulmanos compõem mais da metade da população mundial. Se não podemos ter paz entre os dois, então será impossível ter paz no mundo.

A Bíblia diz: “busque a paz com perseverança” (1 Pedro 3:11). E digo mais: em sua própria área de influência e em parceria com pacificadores muçulmanos.

Estas duas chaves irão liberar a paz! Então ore para que os cristãos imitem o Príncipe da Paz. Ore que Deus levante milhares de pacificadores muçulmanos com quem possamos fazer parcerias.

Para saber mais sobre pacifismo, veja o livro: , “Peace Catalysts: Resolving Conflict in Our Families, Organizations and Communities.” Ou acesse: www.peace-catalyst.net

1 http://peace-catalyst.net/blog/post/peacemaking-in-pakistan:-promoting-religious-freedom

2 David Gushee (ed). Evangelical Peacemakers, (2013), p57. http://amzn.to/Ufl1HL

Deixe uma resposta